Enquete do PL 832/2019

Resultado

Resultado parcial : desde 14/02/2019

Opção Participações Percentual
Concordo totalmente 12.129 45%
Concordo na maior parte 358 1%
Estou indeciso 56 0%
Discordo na maior parte 236 1%
Discordo totalmente 14.540 53%

O que foi dito

Pontos mais populares

Ponto positivo: Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore magna aliquam erat volupat. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipscing elit, sed diam nonummy nibh erat volupat.

Fulano de tal Data 00/00/0000
0 gostaram

Ponto negativo: Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore magna aliquam erat volupat. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipscing elit, sed diam nonummy nibh erat volupat.

Fulano de tal Data 00/00/0000
0 gostaram

Todos os pontos levantados pelos usuários

Exibindo resultados 1 a 10 de 2908 encontrados.

Baixar
  • Ponto positivo: Após estudar 05 anos e concluir o curso de Direito o aluno deve estar apto a exercer a profissão que escolheu e se dedicou por 05 anos. A não exigência da prova aumentará o número de profissionais no mercado. A entidade de classe (OAB) tem todas as prerrogativas definidas em lei para possa fiscalizar o exercício do profissional de Direito. Tomando as devidas medidas cabíveis para os maus profissionais.

    Carlos Alberto Schroeder Data 12/01/2022
    1 gostaram
  • Ponto negativo: A prova elaborada pela FGV não qualifica o profissional. A prova prática não mede a capacidade do examinando de raciocínio. Uma vez que já tem gabarito correto e não abre ao contraditório. Se no dia a dia da profissão fosse como na prova da ordem, não haveria necessidade do contraditório, pois só há uma resposta correta para a questão. Dessa forma, a resposta para a questão é apenas a que o examinador decidiu e não abre possibilidades diferente. Só ha um lado. A do examinador.

    Carlos Alberto Schroeder Data 12/01/2022
    0 gostaram
  • Ponto negativo: Acho negativo a falta de ânimo desses formandos, não agem em prol de seus direitos, quantidade de Bacharéis de Direito no Brasil é altíssima e acho uma vergonha somente essa quantidade de pessoas falando e decidindo pela vida de milhares de pais de família que demoraram anos para se formar, uns até se suicidaram por não ter conseguido advogar enquanto que 2, 3 privam o exercício da função e ainda falam ser pela defesa da população.

    ALEX PEREIRA DE ASSUNCAO Data 02/12/2021
    1 gostaram
  • Ponto negativo: Não vejo nenhum...exames dessa natureza, não qualificam NINGUÉM e tampouco capacita para o exercício profissional. Retira sim, indevidamente, o direito constitucional ao exercício da profissão, à milhares de cidadãos aprovados e impedidos de exercerem sua atividade laboral. ABAIXO ESSA PALHAÇADA E FONTE INESGOTÁVEL DE ENRIQUECIMENTO SEM CAUSA.

    Jose Geraldo M chaves Data 29/11/2021
    0 gostaram
  • Ponto positivo: O que vemos nesta exigência, é o coorporativismo da classe e sua reserva de mercado profissional, inconstitucional. Temos mais de 1,5 milhão de bacharéis no Brasil, impedidos de exercerem suas profissões, decorrentes desses exames, muitas vezes caóticos e imprestáveis. Virou uma imensa industria de arrecadacao e cursinhos à explirar a baixa qualudade do ensino nas Faculdades. Até parece que a OMISSÃO de fiscalizar, é por pura conveniência financeira, ate pq nao prestam contas a NINGUÉM ...

    Jose Geraldo M chaves Data 29/11/2021
    1 gostaram
  • Ponto positivo: Cabe à OAB por direito legal, a obrigação de participar na fiscalização da qualidade dos milhares de cursos de Direito Brasil à fora, e denunciar à SESU/MEC o seu parecer sobre cada um deles. A partir daí, poderemos começar a formar profissionais aí sim, qualificados para o munus de auxiliares da Justiça, de forma COMPETENTE e digna. Por outro lado, se os ditos exames de fato qualificam advogados, então vamos promover dita exigência linearmente a cada 5 anos, pra bacharéis e advogados.

    Jose Geraldo M chaves Data 29/11/2021
    1 gostaram
  • Ponto positivo: A dita exigência não se presta a qualificar o bacharel em Direito. Exame não tem o condão de transformar em bom adv aquele que fez um curso ruim e foi aprovado. Se o aluno está submetido a um curso regular autorizado pelo Estado, e é aprovado em todas as matérias durante 5 anos, atendeu às exigências legais, ele deve ser considerado habilitado profissionalmente. Portanto, tal exigência é um " bis in idem", sob a ótica da legalidade e fere os princípios constitucionais do direito ao trabalho

    Jose Geraldo M chaves Data 29/11/2021
    1 gostaram
  • Ponto positivo: Ainda que carecemos de bons profissionais, com certeza não será com a metodologia de avaliação, que será encontrado tal perfil. O meio utilizado pelo órgão avaliador, usa de ditadura e autoabsolutismo nas suas decisões, sem considerar a parte examinando, prevalecendo sua decisão com vantagem unilateral. Obrigando ao examinando a custear em novo certame o valor de R$ 260,00. Deixando um suposto interesse monetário como lucro ganacioso.

    Orlando Rodrigues Ferreira Data 23/11/2021
    1 gostaram
  • Ponto negativo: A avaliação, está coberta e recheada de abusos, com aparência de ser preparada por pessoas não capacitadas e sem detr de conhecimento da causa a ser avaliada. Avaliar profissionais, que irão manipular as leis no exercício profissional, agindo com abusos, acreditando ser absoluta nas suas decisões, faz surgir a decepção dos que galgam a habilitação. Abuso de poder sem reconhecer o direito de defesa da outra parte, é abuso inaceitável.

    Orlando Rodrigues Ferreira Data 23/11/2021
    1 gostaram
  • Ponto positivo: é preciso enfatizar também, que o exame de ordem não testa conhecimento, mas, é aplicado para reprovar! isso eu sempre ouvi desde que entrei na faculdade! sim ao projeto de lei PL 832/19.

    renato marendaz nascimento Data 17/11/2021
    1 gostaram
vote nesta enquete